Status: online - Por Vanessa Campos

Atualizado: Fev 23

Realmente a vida é uma caixa de surpresas... vou explicar porque início meu texto dizendo isso. Atendo há 22 anos - há uns 15 anos atrás uma paciente foi transferida para São Paulo e me pediu para que pudéssemos seguir a terapia por Skype. Nunca fui uma pessoa tecnológica e não tinha essa ferramenta, mal conhecia. O argumento era: “tu já me conhece, temos um vínculo. Se eu mudar de terapeuta além de tudo vou ter que me adaptar com isso. Não vai dar Vanessa.”


Achei um argumento justo e me propus a fazermos uma experiência. Lembro como se fosse hoje que comentei com algumas colegas - já que me afligiu essa nova configuração- e acreditem fui amplamente criticada. “Tu está quebrando o “setting terapêutico”( já explico que cargas d’água é isso). Me questionaram impiedosamente.


As pessoas tem disso né?! O novo gera um desconforto muitas vezes porque ainda nos é desconhecido. Confesso que me senti solitária - queria um apoio... não tive. Mas fui! Eu e minha paciente tentar o atendimento online. Foi estranho para mim mas nos adaptamos e seguimos a terapia.


De lá para cá vinha atendendo alguns pacientes on-line em ocasiões especiais como a anterior. Até que, ano passado, tudo mudou e hoje atendo 100% dos meus pacientes on-line. Ironia não?! Sempre lembro que o mundo dá voltas e é redondo ! Hehehe! Vida que segue!


E o setting terapêutico ?! Ia explicar isso. Assim “despsicologizando” é o espaço criado entre psicóloga e paciente. Espaço de confiança, sigilo, escuta onde todos os processos de cura irão acontecer. Daí eu nem preciso argumentar com vocês que a conexão pode ser dar tanto on-line quanto presencial. É claro que sinto falta dos abraços nos finais das consultas. Em alguns momentos difíceis queria poder estar perto fisicamente para acalentar alguns corações aflitos com um afago. Mas adaptamos tudo nessa vida... faço, hoje, isso com palavras , via Web.


E confesso para vocês existem peculiaridades que nem imaginava... conheci a casa de todas as pessoas, seus cônjuges, os animais de estimação, familiares. A reforma tão comentada na terapia. É inusitado!


Já atendi gente no closet, na cozinha, fazendo café, no escritório, no box do banheiro (com chuveiro desligado obviamente) , de pijama, roupa de mendigo. Já tivemos “convidados especiais” filhos, mães, empregados. O mais frequente de todas as situações são terapias dentro dos carros.


Concluímos que esse setting terapêutico, às vezes, é o mais seguro e sigiloso. Sinto que a cada vez que me encontro na sala de atendimento abro um portal para uma nova aventura.


Wix Imagens

E você ? Vem se aventurando por aí? Se não, sugiro que faça isso o quanto antes. Isso enriquece a alma! Se liberte dos conceitos limitantes que não nos ajudam em nada a evoluir. Corra o risco de ser criticado, no final das contas o que importa são as suas escolhas, convicções e os argumentos que fundamentam as mesmas...


E eu?! Sigo sempre on-line na vida! Me divertindo! Arriscando ! Errando e acertando... porque somos uma constante “metamorfose ambulante”

Um beijo grande até breve!


Psicóloga Vanessa Campos