O Encontro - Por Vanessa Campos


Hoje acordei cedo como sempre . Vesti aquela roupa especial para o evento que teria a seguir. Tomei um breve café , passei meu protetor solar (recomendação que faço religiosamente quase todos os dias - assunto para outro momento) e fui para meu encontro.


Local longe, então tive 40 minutos silenciosos para refletir sobre aquele momento. Nossa, estava com frio na barriga. Como seria ? Ia dar certo ? Íamos nos acertar ? Fazia 45 dias que não nos encontrávamos. Estava nervosa como se fosse o 1 encontro.


Pensei em desistir. Achava que a distância poderia ter deixado uma lacuna. Nosso último encontro foi mágico, intenso como todos os outros. Às vezes, me frustro com a nossa interação, mas isso é normal de todos os relacionamentos. São tantas emoções que me sinto vivendo numa montanha russa.


E o frio na barriga foi virando nervosismo a cada instante que se aproximava do nosso encontro. E daí que eu digo a vocês algo que vocês provavelmente já sabem: sou perdidamente apaixonada pelo golfe.



Temos um relacionamento de amor! Pode ser que jogar golfe seja o símbolo do meu relacionamento comigo mesma. Achei um tanto inusitado eu sentir isso tudo hoje. Parecia que estava indo encontrar um grande amor. Pode ser que ele seja. Pode ser que meu encontro no golfe seja individual, interno , único. Pode ser que no silêncio do campo eu silencie minha mente inquieta.


Arquivo pessoal.

E meu encontro ? Não deixaria vocês com essa curiosidade. As primeiras tacadas trágicas… pensei : É, aguenta ! 45 dias sem vir ! Me senti pressionada, preocupada. E o sentimento foi passando e por fim fiz o melhor jogo dos últimos tempos, com menos tacadas. Dia para chuva! Eu lá no campo… naquele encontro único.


Arquivo pessoal.

Por fim … antes de me despedir…ele me pediu em namoro e … eu aceitei… para toda a eternidade!



Psicóloga Vanessa Campos