Mulheres usam saias e homens usam calças - De onde vem este comportamento?

Por Baby Steinberg


Felipe Saraiva e Vagner Oliveira - Foto: Diego Marques

Eu acredito que temos dois fatores importantes que contribuíram para isto: o cultural e o religioso.

Historicamente constatamos que há séculos homens usavam saias, assim como as mulheres. Materiais, comprimentos e silhuetas distintas eram o que diferenciavam os modelos femininos dos masculinos.


Foto: Diego Marques

Aqui alguns dos povos como exemplo:


No antigo Egito homens usavam um saiote leve de linho ou algodão curto com uma amarração. Esta era a forma que se apresentavam para negociar. Na China Imperial os homens e crianças usavam vestidos super volumosos em diversos tipos de seda e cetim, pele e couro, ouro, pérolas e pedras preciosas chamado “dragon vest” ou na tradução livre veste do dragão.


Na Grécia antiga homens e mulheres usavam túnicas presas em um ombro só com drapeados, elaborados para valorizar a beleza corporal, tema importante na civilização grega. No Sul da América os Inkas se visitam de maneira simples com uma túnica sem mangas que mal alcançavam os joelhos, talvez as saias mais curtas entre faladas anteriormente.


E como não citar uma das saias mais famosas no mundo da moda: a Kilt. Usada pelos escoceses, virou um símbolo da Escócia. No século XVII se tornou uniforme militar e houve a adaptação do comprimento, deixando de ser longa e sim curta para facilitar a movimentação nas batalhas.


Acredito que com a evolução do mundo tivemos a mudança em se vestir, onde o homem apropriou-se das calças para facilitar na execução das tarefas que por eles eram realizadas, como andar a cavalo, lutar, caçar...etc. Como a mulher não realizava tantas tarefas como os homens, mantiveram as saiam como vestimenta.


Outro fator importante é o numero de vezes que estas mulheres engravidavam e esta vestimenta possibilitava um aumento e diminuição de tamanho sem ajustes. Lembrem que nesta época não existiam tecidos industrializados e fábricas que produzissem roupas como hoje.


A religião também influenciou a separação do vestuário por gênero. A Bíblia diz algo nas entrelinhas de que "a mulher não deverá usar roupas masculinas e o homem não deverá usar roupas femininas caso o faça, Deus os detestará."


A cultura e a religião contribuíram imensamente pela criação ocidental desta interpretação de moda por gênero. Em 1966 houve uma tentativa do famoso estilista francês Jacque Esterel em trabalhar com a desapropriação da saia por gênero, mas a moda não decolou.


Por volta de 2010 varias estilistas, como Jean Paul Gaultier, Marc Jacobs, Giorgio Armani, John Galliano, Kenzo, Rei Kawakubo and Yohji Yamamoto, lançaram saias masculinas causando um grande impacto no meio da moda.


Não podemos esquecer de salientar que um dos maiores apoiadores desta moda foi o estilista Marc Jacobs que adotou as saias como parte do seu dia a dia se tornando uma forte influência para os homens fashionistas.


Hoje em dia já vemos por aí outros homens de saia, mas sabemos o desconforto que ainda causa aos mais conservadores. Será este fator algo associado à forma que aprendemos a nos vestir por gênero ou porque esteticamente uma saia em pernas masculinas não fica tão agradável aos nossos olhos?


Em contrapartida parecemos não nos surpreender ao visitar países orientais em que homens usam saias, sarongos, pareos e túnicas, pelo contrário, muitos homens aproveitam para usar aquele tipo de vestimenta enquanto estão naquele país. Penso que este comportamento ocorre, pois naquele ambiente não serão julgados.


Em tempos em que diariamente lutamos por direitos iguais, talvez nós mulheres também devêssemos nos desapropriar da saia como algo feminino. Poderíamos viver numa sociedade onde executivos e artistas possam usar saias sem que houvesse preconceito de que eles são gays ou cross dressers embutido em nós desde pequenos.


E por fim, isto que estou relatando é para que possamos olhar a saia somente como um artigo do vestuário e não uma determinação de gênero.


A favor das saias masculinas, em 2011 no Canadá, criei uma coleção de saias masculinas juntamente com o assessor Louie Manzo, um grande apreciador das saias. A coleção saias para homens foi chamada WO*MAN, um trocadilho com os nomes mulher e homem em inglês. O resultado da coleção na mídia foi marcante, levantamos uma bandeira a favor da individualidade, quebramos barreiras e ignoramos regras.


Poucos anos depois mudei para o Brasil e falar de saias masculinas ainda era um tabu e não conhecia ninguém que gostaria de usá-las. Até que no início deste ano retomei o assunto e com a ajuda do Vagner e do Felipe, que amaram a ideia, comecei a desenvolver novos looks para os brasileiros.


Durante este processo tive a ideia de adicionar algo para crianças. Pensei na inocência das mesmas, pois usariam a saia talvez ainda sem rotular por gênero masculino ou feminino. E aí surgiu o Theo, esta graça de menino que a saia é só outra peça que usaria para compor seu look do dia antes de ir para escola. Segundo sua mãe Lais " ele ama fazer selfie para registrar suas roupas após se arrumar."


Modelo: Theo - Foto: Diego Marques

Minha ideia era criar modelos distintos que se encaixassem nas diversas situações diárias da vida de um homem. Então fomos de vernissage em galerias de artes ao pic-nic no parque, entre muitos olhares e suspiros fotografamos várias situações.


Foto: Diego Marques

A coleção é composta de saias casuais, sarongs para praia, kilts até looks mais formais. Do preto básico ao colorido do verão, foram elaboradas silhuetas diferentes adequando ao dress code. Meu objetivo com esta matéria era desmistificar o uso da saia, não convencê-los a vesti-las.


Gostaria sim de influenciar na sua atitude ao ver alguém desfilando no dia a dia por aí. Afinal o homem não está fazendo algo novo e sim se REAPROPRIANDO de algo que já era dele.



Foto: Diego Marques

"É fresco, é arejado, é solto e é estiloso. Tem que ter segurança para usar.


Apesar de trabalhar numa profissão formal, sempre gosto de ousar, de imediato aceitei o convite e me sinto honrado. Fico me perguntando: é muito louco como a mulher sempre pôde usar roupa masculina. Por que tem que ter essa distinção? Claro que causa estranhamento, mas o que percebo é que existe uma sensação de empoderamento por trás da atitude do homem de usar saia. Há uma força grande de liberdade de expressão na maneira de se vestir e de explorar o corpo."

Vagner Oliveira









"Usar saia é libertador, porém se comportar com ela é um desafio.

A sensação de estar vestindo algo super leve, confortável e que foge do conceito de bermuda e calça masculina é algo que demanda um pouco de coragem, pois as pessoas ainda não estão habituadas com tal aparecimento. Ao longo do ensaio, pude perceber diversos olhares de curiosos, gosto de pensar que o diferente pode ser encantador". Felipe Saraiva

CONTATO

(51) 3209.9879

(51) 99982.4717 / (51)  99338.6335

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White Twitter Icon
  • Branca Ícone Google+
  • YouTube - Círculo Branco