top of page

Cães e Piscina - Por Luigi Bitencourt

Confira seis dicas para seu pet divertir-se com segurança.


Alguns cães adoram brincar na água. Isso é super saudável, desde que sigam algumas regras básicas de segurança. Então confira a seguir seis dicas para fazer com que essa atividade seja muito mais segura e interessante para seu cãozinho.


Imagem de Bednuts por Pixabay

COLETE SALVA VIDAS - Apesar de muitos cães já saberem nadar, por instinto, o auxílio de um colete salva vidas é muito indicado na iniciação desta nova atividade. O acessório de segurança, também é recomendado para os cães branquicefálicos, cães idosos, ou qualquer caso que demonstre menor habilidade com a água.


BOIAS - As boias podem ser um acessório fundamental para tornar a brincadeira dos cães, na piscina, mais divertida. Opte sempre por boias com área maior e que não acumule líquido, pois seu cão poderá ingerir água com cloro. Outra cautela, extremamente importante, quando utilizar boia é ter o cuidado para que seu cão não entre embaixo da mesma, pois isso poderia ocasionar um afogamento.


Imagem de Thomas por Pixabay

HIDRATAÇÃO - Igual os humanos, os cães também gastam muita energia ao exercitar-se na piscina. Então nunca se esqueça, durante a atividade, de oferecer apenas água potável. E, em hipótese alguma, o deixe beber água da piscina, pois o cloro é prejudicial para a saúde do cãozinho, podendo causar desconforto estomacal e vômitos.



PISCINAS MENORES - Se você tiver escolha, opte sempre por piscinas de menor altura de água, pois o animal se divertirá com muito mais agilidade e segurança.


Imagem de Stefan Glazer por Pixabay

CUIDADOS PÓS-PISCINA - Após seu pet se divertir e exercitar chega a hora de cuidar dele. Sempre, após a piscina, você deve dar um banho de água doce, com shampoo e condicionador apropriados. Também não se esqueça de escovar os pelos, se for o caso, pois o cloro tende a fazer com que os pelos mais longos se embaracem.


SEGURANÇA EM PRIMEIRO LUGAR - Toda atividade do pet, em piscina, deve ser sempre monitorada pelo seu tutor e em hipótese alguma deixe seu animal sozinho na água, mesmo que ele seja experiente nesta atividade. Sempre utilize grades de proteção ou tampas bem seguras, a fim de evitar que seu pet caia na água, por acidente.


Autor: *Luigi Bitencourt é um jornalista apaixonado pelo mundo pet.

Para ler mais matérias em sua coluna clique aqui.



Comentarios


bottom of page