top of page

A amamentação e o desenvolvimento da face e estrutura bucal do bebê

Atualizado: 29 de nov. de 2023

Por Dra. Daniela Prietsch*


Você sabia que o desenvolvimento da face e estrutura bucal está

diretamente relacionado com a amamentação?


O bebê precisa exercitar a mandíbula para que ela se desenvolva, por isso a alimentação não pode ser oferecida de maneira fácil. O ideal é mamar no peito até os seis meses de idade. Podemos considerar essa atividade como a primeira ginástica do bebê.

No entanto, se isso não for possível ofereça mamadeira com orifícios pequenos, nunca aumente o orifício do bico para facilitar a mamada, pois a falta de estímulo pode fazer com que o queixo não se desenvolva de maneira correta.

Além de todos os benefícios que já conhecemos sobre o aleitamento materno, pesquisas apontam que ao mamar no peito o bebê realiza movimentos que exercitam a respiração e a musculatura facial. A sucção do leite e a deglutição fortalecem os músculos faciais e direcionam a formação dos ossos do rosto, fazendo com que haja um fortalecimento e tonificação da língua, bochechas e lábios.

Estudos atuais destacam o papel relevante da amamentação na prevenção de problemas de oclusão (má posição dos dentes nos arcos, principalmente na dentição decídua). Os atos de sugar e deglutir iniciam-se na gestação e, gradativamente, vão amadurecendo até o momento do nascimento. Na 34ª semana gestacional, a maioria dos fetos saudáveis pode sugar e deglutir bem o suficiente para sustentar suas necessidades por via oral, caso o nascimento ocorra nesta idade. Ao nascer, a mandíbula encontra-se fisiologicamente em posição retrognata, sendo que o aleitamento materno estimula seu avanço e harmonização com a maxila através dos movimentos de protrusão e retrusão durante a extração do leite materno.

O período de sucção ao peito favorece uma respiração nasal exclusiva e uma atividade muscular para o desenvolvimento da face, atuando nas placas palatinas, aproximando a mandíbula da maxila e interiorizando a língua dentro do espaço oral, preparando essas estruturas para uma deglutição próxima do modelo do adulto, além de estimular proprioceptiva e motoramente essa região para uma boa oclusão e para a articulação dos sons da fala.

O crescimento e desenvolvimento das estruturas orais se dão através da força dos tecidos moles sobre os ossos, por remodelação, reabsorção e aposição óssea. No início da mamada, os movimentos de sucção são mais vigorosos, assim o estímulo de crescimento dado pelo aleitamento é muito importante. Vários músculos da face e pescoço estão envolvidos na amamentação e esses irão estimular o crescimento e desenvolvimento orofacial.

Existe a integração entre recepção de estímulos corretos e respostas adequadas aos tecidos, conduzindo a um crescimento e desenvolvimento adequado maxilo-mandibular da musculatura orofacial e da oclusão, assim como das funções orais de sucção, deglutição e fala.

(Fonte: Sociedade de Pediatria de São Paulo – spsp.org.br – Conteúdo extraído da publicação Aleitamento Materno e o desenvolvimento orofacial, disponível em: https://www.spsp.org.br/site/asp/recomendacoes/Rec87_1.pdf)


Ortodontista daniela prietsch
Dra. Daniela Prietsch

*Dra. Daniela Loureiro Prietsch é ortodontista (CRO/RS 21439), graduada em Odontologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Especialista em Ortodontia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Credenciada pelo Sistema Invisalign. Credenciada pelo Sistema Alinhadores Estéticos Clear Correct. Credenciada pela Propel Orthodontics Ortodontia Acelerada. Aperfeiçoamento em Bruxismo e Apneia do Sono pela Faculdade de Odontologia São Leopoldo Mandic Porto Alegre.

Комментарии


bottom of page