Jejum Intermitente - Funciona mesmo?

Por Mairi Trecco*


O jejum intermitente, que também pode ser denominado como restrição calórica intermitente, isto porque os protocolos não só envolvem a restrição calórica do tipo intermitente(jejum), mas também a restrição calórica do tipo intermitente, ou seja, um dia de consumo maior, seguido de outro com um consumo menor.



Apesar do Jejum Intermitente, parecer algo novo, uma dieta da moda, o primeiro estudo indicado sobre o jejum ocorreu em 1956 em humanos. Porem somente em 1970 um grupo de pesquisadores, iniciou o processo de análise e investigação, os efeitos metabólicos que ocorriam em muçulmanos que praticavam o jejum do Ramadã. No Jejum do Ramadã, os muçulmanos ficam 30 dias fazendo o jejum de 12 a 20 horas, dependendo da região. Se alimentam no momento em que o sol se põe, não podendo se alimentar a partir do sol nascente.


O que ocorre é que estudos tem mostrado que o jejum intermitente, não é uma dieta da moda, e pode ter inúmeros benefícios para saúde humana. O principal mecanismo de efeito benéfico do jejum intermitente, é o fato dele promover um pequeno stress no organismo. Esse stress faz com que ele busque uma forma homeostase de equilíbrio ativando fatores de transcrição, relacionados a melhora, relacionados a melhora do stress oxidativo, do equilíbrio oxidante/detoxificante, genes associados a longevidade, diminuição do IGF – 1 que é uma proteína associada ao câncer.

Estudos mostram que a estratégia do JI quando comparado com uma restrição calórica, pode ser similar ou ter pequenas vantagens no emagrecimento quando comparado a restrição continua. Essas melhoras são a diminuição de mercadorias inflamatórias e melhora da sensibilidade a insulina.


RELOGIO BIOLOGICO X EMAGRECIMENTO


Nos seres humanos fomos por bilhões de anos coordenados pelo ciclo do “claro e do escuro”, conforme as 24 horas do dia. Temos um comportamento diferente pela manhã, quando comparado a noite. Pela manhã temos um pico maior de cortisol. A noite liberamos mais melatonina. Pela manhã temos uma maior liberação de substancias inflamatórias, por isto pessoas que tem artrite, doenças inflamatórias no geral, costuma acordar com mais dores.

A noite temos imunossupressão, por isto que, febre, dores de garganta, acabam agravando no período noturno.


DE QUE FORMA DESREGULAMOS O RITIMO BIOLOGICO?


- Principalmente trocando o dia pela noite;

- Refeições feitas muito tarde no período noturno, ricas em calorias;

- Luz branca também contribui para desregular o relógio biológico;


COMO O JEJUM INTERMITENTE FUNCIONA NO SEU CORPO


- Quando ficamos em jejum, o organismo fica em estado de alerta, todo sangue e direcionado para os órgãos vitais, coração, cérebro, pulmão.

- Nosso organismo utiliza uma serie de mecanismos para que possamos desempenhar nossas funções básicas e metabólicas enquanto estamos em jejum.

Ao Jejuar, várias ações ocorrem dentro das células do corpo humano. Por exemplo há alterações dos níveis hormonais, para tornar a gordura armazenada disponível para as células como fonte de energia. Os níveis de hormônios do crescimento têm um pico, chegando a ficar 5 vezes maiores do que antes. Isto traz inúmeros benefícios na queima de gordura, no ganho de massa muscular. A sensibilidade a insulina melhora, e os níveis de insulina no sangue caem drasticamente. E níveis mais baixos de insulina no corpo permitem que mais gordura armazenada fique disponível para ser queimada. Em jejum um corpo inicia processo de reparação das células, que inclui a autofagia, onde células digerem e removem proteínas velhas e disfuncionais de dentro delas, gerando muitos radicais livres. Essas proteínas velhas podem levar ao surgimento do câncer.


BENEFICIOS DO JEJUM INTERMITENTE


- emagrecimento rápido, seguro e definitivo;

- quebra do platô;

- melhora da saúde metabólica;

- ajuda a otimizar o ciclo de reparação muscula;

- proporciona o aumento do hormônio do crescimento;

- diminui marcadores inflamatórios;

- regulação hormonal;

- aumento da expectativa de vida.


CONTRA INDICAÇOES DO JEJUM INTERMITENTE


- doenças que levam ao catabolismo;

- sarcopênicos;

- gravidas e lactantes;

- IMC abaixo de 18;

- diabéticos;

- medicação que necessita de estomago cheio.


MITOS


- vou passar fome;

- vai ficar com fraqueza e desmaio;

- vou perder massa muscular;

- sem comer vai gerar compulsão alimentar;

- vai deixar meu metabolismo mais lento.


O Jejum Intermitente associado a ozonioterapaia, aplicada e orientado por profissionais capacitados, ira potencializar os resultados finais.

Mairi é médica veterinária, atualmente é acadêmica em Biomedicina e exerce a função de ozonioterapeuta em clínicas e estéticas, tem experiência no tratamento de pessoas e animais.